Depois da loucura das prendas de Natal em que os fins-de-semana foram passados nos centros comerciais à procura dos presentes perfeitos, o ano arranca com uma nova temporada de saldos, promoções, descontos especiais e – como não podia faltar – de trocas! Mas, depois de várias semanas de correrias e stress, em que fizemos contas àquilo que gastámos, para agora podermos desfrutar da nova temporada de saldos, devemos ser ainda mais poupados e fazer um bom planeamento daquilo que efetivamente precisamos e do que podemos gastar.

Sabemos que resistir a tantos artigos a preços apetecíveis torna-se uma tarefa muito difícil e é por isso que partilhamos consigo as melhores dicas para aproveitar ao máximo os saldos, sem cometer erros ou desperdiçar as suas poupanças naquilo que não precisa.

Vamos a isso? 

 

  1. Fazer uma lista

Pode parecer cliché, mas a verdade é que definir os nossos objetivos ajuda sempre a orientar o nosso caminho. Se não gosta de andar com papéis atrás ou para se tornar mais eco-friendly, faça uma lista no seu smartphone com tudo aquilo que mais precisa: para si, para casa, para o carro ou para o seu animal de estimação.

Comece por aquele artigo que já anda há meses a pensar em comprar, mas o preço é sempre um entrave. Ou pelo eletrodoméstico que está “quase a dar o berro” e que, mais tarde ou mais cedo, vai precisar de ser substituído. Ou por aquele amigo ou familiar que faz anos e que tem de lhe comprar uma prenda. A lista servirá para não deixar que se desvie daquilo que precisa.

 

  1. Comparar online

 Este deve ser o segundo passo antes de sair de casa. Através do nosso smartphone, podemos visitar o site das lojas online e comparar os preços dos artigos. Precisa de uma saia preta lisa para o trabalho? Então abra vários sites de vestuário e encontre o artigo com melhor qualidade-preço.

Se a sua compra superar o valor mínimo para ter portes de envio grátis, aproveite também para comprar online, pois em muitas marcas há sempre a possibilidade de devolver o artigo na loja física, caso não gostemos dele. Assim, acaba por não ter de gastar dinheiro em transportes e pode experimentar em casa com calma. Para além disso, há muitos artigos disponíveis no site que não estão em loja, o que acaba por ser uma vantagem.

 

  1. Estabelecer um valor máximo

Os saldos não podem – nem devem – afetar as nossas poupanças. Eles servem para nos ajudar a poupar e não devem afetar a nossa saúde financeira, nem acabar por nos deixar mais limitados nos meses seguintes. Desta forma, não saia de casa sem estabelecer quanto é que pode gastar, ou seja, um valor com o qual se sinta confortável em gastar.

Outra coisa que deve ter em mente é que não é obrigado a gastar esse valor, caso não precise. Seja sempre cauteloso e realista, e não ambicione mais do que a sua carteira permite.

 

  1. Não comprar na primeira loja, nem apenas por promoção

Para as mulheres, esta acaba por ser uma tarefa mais fácil, pois são quem mais gosta de comparar preços. Em temporada de saldos, aproveite para ir vendo com calma várias lojas e comparar o artigo que procura, não só em preço, como também em qualidade. Se for preciso, volte à loja inicial, mas assim terá a certeza que vai fazer a melhor compra.

Outra coisa que não deve fazer é comprar só porque está com uma ótima promoção. Apesar de ser tentador, se não precisamos, acabamos por estar a diminuir o orçamento estipulado e, com isso, podemos estar a impedir-nos de comprar algo que realmente nos faz falta.

 

  1. Comprar artigos da próxima estação

Os saldos também nos ajudam a pensar mais além e a prever aquilo que vamos precisar na próxima estação. E porquê antecipar estas compras? Porque muitas vezes os artigos mais baratos nos saldos são aqueles que estão “fora de época”. Camisolas de alças, ventoinhas… não são propriamente os artigos que mais nos apetece comprar com este frio, mas se já estávamos a precisar no final do verão, talvez seja agora a hora de aproveitar.

 

  1. Utilizar dinheiro, em vez de cartões de crédito

Esta é uma boa forma de controlarmos aquilo que podemos gastar. Experimente levar consigo para as compras o dinheiro que estipulou gastar, pois geri-lo manualmente acaba por ser mais fácil de o controlar. E, quando já não tivermos mais, sabemos que é hora de parar.

Para além disso, ter dinheiro físico ajuda-nos também a fugir à tentação de utilizar o cartão de crédito e de nos deixarmos ir um pouco mais além.

 

  1. Esperar pela última rebaixa

Esperar pela última rebaixa vai ajudar-nos a conseguir os melhores preços, mas a verdade é que também corremos o risco de muitos artigos desaparecerem. E, em época de saldos, poucas vezes existe reposição de stock, o que significa que quando desaparecem, é de vez.

Por isso, avalie primeiro a urgência do que precisa de comprar. Se não for nada prioritário, nem um artigo demasiadamente desejado, aguarde pelo remate final e compre ao melhor preço.