Embora seja um feriado religioso e este ano seja sinónimo de fim-de-semana prolongado, o dia 1 de novembro não é apenas o “Dia de Todos os Santos”. Neste dia, celebra-se também o Dia Mundial do Veganismo, um dia que reúne os apaixonados por hábitos e estilos de vida saudáveis de todo o mundo.

Mas o que é que representa realmente “ser vegan”? Pratos coloridos e trendy, com nomes pouco comuns, a alimentação vegan continua a ser desconhecida para a maior parte das pessoas, que não só não estão a par dos seus benefícios para a saúde, como também desconhecem as suas mais-valias para poupar tempo e dinheiro.

Contudo, o que muitas vezes também não se sabe, é que “ser vegan” não se materializa apenas em escolhas alimentares que fogem de tudo o que seja de origem animal. “Ser vegan” é uma filosofia de vida, um modo de estar que vai muito além de padrões alimentares. Não é só uma escolha mais “verde”, mas sim mais profunda e humana.

Quando se opta por ser vegan, não se está apenas a excluir todos os produtos de provenientes de animais da dieta alimentar, como, por exemplo, a carne, o peixe, lacticínios, mel e qualquer produto que contenha um ingrediente de origem animal. Está-se, por direito próprio, a negar tudo o que envolva o sofrimento e tortura dos animais. E isto leva-nos, inclusive, a sair do campo da alimentação e a navegar para a indústria do vestuário e da cosmética.

No entanto, a nossa saúde é quem mais beneficia com esta filosofia de vida que, apesar de levar a fazer cortes em alguns alimentos, nos abre um novo mundo de receitas saudáveis, com opções saborosas e bastante económicas. E o melhor é que a maior parte dos pratos demoram apenas uns minutos a ser confecionados, permitindo poupar mais tempo na cozinha para se disfrutar do tempo livre com quem mais se gosta. Por isso – e para desmistificarmos alguns mitos – damos-lhe a conhecer algumas das opções vegan adequadas a todas as carteiras, que podem servir de inspiração para preparar as marmitas da semana.

Preparado para esta viagem que vai desafiar o seu paladar?

 

1- Bifinhos de tofu com molho de laranja

Esta é uma das opções saudáveis que não só substituem a carne, mas também a combinam na perfeição com alimentos saudáveis que o nosso corpo tanto precisa. Para além de ser simples de pôr em prática, a maior parte dos ingredientes já fazem parte da nossa dispensa e encontram-se a preços muito acessíveis.

Para quem já faz bifinhos na frigideira ou strogonoff, esta receita não foge à regra. A carne é substituída pelo tofu, ao qual é adicionado cenoura como acompanhamento. O segredo está no tempero – que conta com pimenta preta – e no molho feito a partir da casca de uma laranja. E para rematar com um sabor ímpar, utiliza-se um pouco de vinho branco.

 

2- Sopa de curgete, ervilhas e espargos

Aqui levamos mesmo à letra o modo “verde”. Para quem não dispensa uma sopa bem condimentada e rica em verduras, esta é uma excelente opção. Para fazer esta sopa, não é preciso sermos grandes chefs na cozinha. Basta-nos reunir alguns legumes variados, como alho francês, ervilhas, curgete e espargos, adicionando sementes de girassol e uma folha de hortelã para o toque final. Uma receita fácil, saborosa e muito económica.

 

3- Salada de quinoa marroquina

Um dos grandes benefícios de uma alimentação vegan é que nos permite explorar a gastronomia de outros países, enriquecendo o nosso paladar. A salada de quinoa marroquina, para além de ser composta por elementos ricos em ferro, proteína, fibra, cálcio, magnésio, é um prato que fica pronto em menos de 20 minutos, o que lhe vai libertar mais tempo para fazer novos planos.

Quinoa, cebola, tâmaras, amêndoas, salsa, hortelã são alguns dos ingredientes que dão vida a esta salada, sem esquecer o toque marroquino, que é dado pelo vinagrete e pelas várias especiarias, que conferem o maior sabor ao paladar.

 

4- Bolo de limão vegan

Não nos podíamos esquecer da sobremesa, pois não? Até porque o mundo da alimentação vegan põe em contacto sabores que muitos de nós provavelmente ainda não experimentámos. Para os amantes do sabor a limão, este é um bolo simples e fácil, com ingredientes maioritariamente de uso diário.

Para além do limão como ingrediente principal, este bolo leva farinha, fermento, bicarbonato de sódio, uma pitada de sal, bebida vegetal, azeite e baunilha. E, para a cobertura, faz-se uma calda de açúcar com sumo de limão, pondo em contacto o doce com o ácido.